Costuma ser contagiante a alegria do brincar que envolve as crianças a nossa volta. Brincando em casa, nas calçadas, nos parquinhos, no pátio da escola, entre outros espaços. E ficamos felizes por sua satisfação. Mas essa é uma oportunidade riquíssima de observação sobre cada um e seus estilos desenvolvimentais. Muitas crianças formam grupos, tem facilidades […]

Leia mais

O ser humano é um animal racional, mas antes de tudo é um ser dinâmico, sempre em movimento e por isso pouco aderente ao estático. Curiosos por natureza, gosta de desafios, às vezes assume posições dicotômicas e opostas como o prazer e o medo diante de obstáculos a serem vencidos ou superados. Desde os primeiros […]

Leia mais

O brincar, no campo desenvolvimental, é parte integrante da evolução humana, em todos os seus aspectos-fisico-anatomico-funcional, psico-afetivo-emocional, e socio-linguístico-cultural. A sabedoria da natureza divisível e integradora conseguiu reunir diferentes modalidades desenvolvimentais de forma integrante, ao mesmo tempo em que preservou a unicidade do organismo vivo em acoplagens. Tudo isso, entretanto, tem sido um processo dinâmico, […]

Leia mais

APRAXIA ►Praxias: relações entre os movimentos e os objetos, exigindo níveis e estilos de organizações operativo e motoras. “Realização do ato motor aprendido” (ROTTA, 2006). ►As apraxias são perturbações ou desorganizações destas relações; atraso ou perda das funções responsáveis pela memória – ação motora. ► Grandes possibilidades de recuperação / prevenção / o cérebro “plástico” […]

Leia mais

CORPO E MENTE: O SISTEMA NEUROFUNCIONAL ► Danos no hemisfério esquerdo do cérebro pode prejudicar a fala, a análise, a lógica ou organização matemática; ► Danos no hemisfério direito pode comprometer o trabalho as intuições, emotividade, espacialidades simultâneas, etc…; ► Os hemisférios não são antagônicos, formam um casal unido pelo “corpo caloso” combinando na diversidade […]

Leia mais

A história da literatura infantil é jovem, mesmo porque a noção de infância também é recente. Começa a delinear-se no início do século XVIII, com a quebra de ideia de “miniatura do adulto” Antes disso, a criança da nobreza lia os “clássicos” e as de classes pobres ouvia as histórias de cavalaria, aventuras, lendas e […]

Leia mais