O ser humano é um animal racional, mas antes de tudo é um ser dinâmico, sempre em movimento e por isso pouco aderente ao estático. Curiosos por natureza, gosta de desafios, às vezes assume posições dicotômicas e opostas como o prazer e o medo diante de obstáculos a serem vencidos ou superados.

Desde os primeiros momentos de vida, mesmo a intra-uterina, intuí-se que cada pessoa tem sua própria maneira de ser, de estar, e de fazer no mundo. Desde o seu nascimento, o bebê irá estruturando sua personalidade, descobrindo e conquistando o mundo dos objetos e das pessoas que o rodeiam por meio dos sentidos, das percepções, das emoções, do movimento e dos diversos intercâmbios com o meio. (ARNAIZ, 2003, p.18)

Brincando e Evoluindo 2Os jogos, por exemplo, são estimulantes significativos à natureza viva da criança e a aprendizagem, pré-escolar, costuma utilizar um conjunto de jogos que facilitem o desenvolver de diferentes habilidades motoras verbais, de raciocínio mental, percepto visual etc… E, preventivamente, pode-se garantir maior facilidade para os estudos do Ensino Fundamental, na ampliação de vocabulário, na socialização, nas nações de quantidade/medida e outros.

Muitos tipos de jogos e brincadeiras que foram desenvolvidos no passado, mesmo sem o conhecimento cientifico e ainda no campo do pensamento mitológico, mítico, prototáxico e paratáxico, nos conduziram a rápidas modalidades estruturais do cérebro cortical. Uma significativa evolução do pensar e comunicar humanos.

Através do jogo, a criança vai desenvolvendo intercâmbios por imitação e por diferentes aproximação comunicativas: contrato corporal, voz, olhar, gestos… Essa evolução a levará, também, à descentração: a criança se socializa, escuta, compartilha, se ajusta.(ARNAIZ, 2003, p.43)

Brincando e Evoluindo 3Alguns tipos de brincadeiras podem ser feitas com pouco ou nenhum material, com baixo custo e curta duração, mas com altíssimo valor desenvolvimental. Exemplos dessas formas de brincar é a antiga Amarelinha, Jogos das pedrinhas ou Escravos de Jó, Corrida no saco, Pega maça, Jogo do bastão e outros. Hoje, muitos foram sendo desenvolvidos nas escolas novas como os de Adivinhação, Jogo de curiosidades ou interrogação, Viagem alfabética, Palavras encadeadas, jogos opostos, e outros tantos que não só ajudam habilidades verbais ou linguísticas, como adubam a rapidez mental e motriz, iniciativa no grupo, ativando a memória em vários ângulos e facilitando criatividades.

No campo da Educação Física, às escolas tem utilizado pequenas tábuas tipo lápis grosso para demarcações de áreas nos pátios (cimentados ou aterrados) em estimulo ao raciocínio matemático e geográfico. Nesse estilo temos a Reta das fronteiras, Caça ao tesouro, as áreas afins, A armadilha, a Dança do quadrado, Siga a linha, Encontre a frase entre tantos outros.

No campo da ciência, vários jogos são ativadores de conhecimento e ativação mnemônica, com movimentos esparsos ou limitantes facilitando o esquema corporal e noções de espaço e tempo e lateralidade. Exemplos destes são Encontre o material – antigo Boca de Forno(Vegetal, animal, metal etc… escondidos no pátio ou escritos em papel).

O brincar é uma maneira ativa e divertida de compartilhar ideias, socializar experiências, estreitar amizades, estimular relações interpessoais e outros. Podemos, com uma figura virada para baixo e erguida em dado momento, pedir que todos escrevam uma ou mais palavras que surgiram em suas mentes a partir dessa imagem. Ao final todos se juntam para criar histórias a partir da brincadeira. Elas serão lidas em sala de aula, favorecendo também o desenvolver da linguagem oral.

Chomsky traz a questão cartesiana do caráter criativo da linguagem, de que o conhecimento das regras da linguagem permitem infinitas construções das frases. A compreensão de que é possível criar novas sentenças a partir de outras regras é a chave para a compreensão da linguagem e de sua teoria sobre as brincadeiras infantis. (KISHIMOTO,2011, p.37)

No jogo das 4 estações, adaptados da China pelos brasileiros, desenha-se um circulo no chão e são distribuídas fichas com palavras típicas de cada estação (Exemplo: calor, frio, casco de lã, praia, frutos, flores etc…) e, a medida que o recreador fala verão, outono, inverno, primavera, os alunos levam as fichas para preencher o campo que está designado no chão. Ao final, os alunos comentam sobre a experiência e as fichas.

Assim, as capacidades, habilidades, saberes se organizam com os movimentos, afetos, emoções, socializações dos alunos, auxiliando os aspectos desenvolvimentais englobados e prazerosamente vivenciados.

Brincando e Evoluindo 4Além desse tipo (mais de 1000) de brincadeiras e jogos de matrizes em educação, lembramos sempre aqueles que são frutos de sucatas, palitos e conchas catados nas praias, jornais e revistas, papéis de bombons e muitos outros que contam com a ação das crianças mesmo fora da escola. Jogo de Esconde-esconde, de montar, ou Cabra-cega, e outros são bem ágeis e exige atenção constante de mais de dois educadores ou recreadores no pátio escolar, mas são preciosos para o desenvolvimento integral do aluno.

Nos parece bom lembrar que é ao final do Século XVIII que o corpo, sob a ótica filosófica, teve várias considerações, sendo que só foi estudado sistemática e cientificamente após o Século XIX. A neurologia e a neuropsicologia estudaram o corpo mais sistemático e experimental, depois a psicologia, a psicanálise e outras ciências se juntaram a Anatomia e a Fisiologia na melhor compreensão do funcionar da mente, do cérebro e das perturbações humanas.

  1. ARNAIZ Sánches, Pilar; MARTINEZ, Marta Rabadán, PEÑALVER, Iolanda Vives. A psicomotricidade na educação infantil: uma prática preventiva e educativa. Tradução: Inajara Haubert Rodriguês. Porto Alegre: Artmed, 2003.

  2. KISHIMOTO, Tizuco M. (org); Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. 14 ed. São Paulo: Cortez, 2011.

Publicação sugerida pelo autor.

30 Comentários Respondidos

  • Diego Afonso de Souza  13 de novembro de 2021 em 16:16

    Parando para refletir nas antigas brincadeiras que quando criança e adolescente fazia, tanto sozinho como em grupo, hoje após a leitura do texto, me trouxe uma reflexão de como foram importantes para as minhas escolhas pessoais e em grupos onde frequento. Brincar, na minha visão, reflete a vida, e a vida, reflete o brincar. Antes, brincávamos de adultos, com a pureza no coração e sem entendimento filosófico a respeito das responsabilidades que um ser humano adulto tem. Apenas olhávamos com a intenção se aproveitar a vida, viver sem responsabilidades, mas não imaginávamos como a vida trás essas responsabilidades nós querendo-as ou não.

    Responder
  • Marta da Silva de Souza  15 de novembro de 2021 em 11:24

    Ao brincar a criança aprende a conhecer, a fazer, a conviver e a ser, favorecendo o desenvolvimento da autoconfiança, curiosidade, autonomia, linguagem e pensamento. … Nas brincadeiras as crianças podem desenvolver algumas capacidades importantes, tais como a atenção, a imitação, a memória, a imaginação

    Responder
  • Fabíola Liberato Meirelles  15 de novembro de 2021 em 14:18

    Ao refletirmos sobre brincar, precisamos saber que não é algo que deve estar relacionar diretamente à aquisição de brinquedos, mas sim, é algo que precisa ser estimulado, nos enquanto bebês, somos estimulados a desenvolver os primeiros estímulos, explorando o nosso próprio corpo para descobri-lo, sendo assim, com o passar dos tempos os entretenimento vão se evoluindo, então, começamos a explorar novos tipos de brincadeira até chegar nos jogos simples (o faz de conta) depois nos mais estruturados e com regras (formais). Os jogos são essenciais e pode contribuir para o sujeito cognoscente a formar conceitos para selecionar ideias e estabelecer relações lógicas.

    Responder
  • Patricia Martins Valério  15 de novembro de 2021 em 15:27

    Muitas das vezes a criança utiliza o brinquedo para expressar suas emoções. A criança cria uma zona de desenvolvimento, e nesse momento ela pode estar evoluindo as habilidades psicomotoras. Por isso que é importante que o professor e a família incentivem e estimulem as brincadeiras ainda nos primeiros anos de vida da criança.

    Responder
  • ALINE APARECIDA NEVES DE OLIVEIRA  16 de novembro de 2021 em 20:15

    O incentivo do brincar desde pequeno traz grandes benefícios ao longo da vida do ser humano, é através dessas vivências e experiências que se incentiva diversas competências a serem exploradas no individuo, colaborando com a sua formação social. Os jogos e as brincadeiras é de grande valia para que se explore a criatividade e a ludicidade, trazendo sempre forma prazerosa de aprender brincando.

    Responder
  • Eliana Pereira dos santos  16 de novembro de 2021 em 20:34

    A criança começa sua evolução no brincar, ela indicara caminhos para que as crianças desenvolva sua indentidade e cresçam como cidadão, contribue com a socialização das crianças tornando o ambiente escolar próprio ao acesso e a ampliação dos conhecimentos da realidade social e cultural.

    Responder
  • Valéria dos Anjos Souza  16 de novembro de 2021 em 21:49

    O brincar sem duvida e para a vida inteira, pois e no brincar que vivemos novas experiências, desafios, o brincar sem perceber está nos preparando para a vida adulta com suas regras com a hora de começar e com a hora de terminar, é aprendendo sem deixar de ser criança e o melhor brincando.

    Responder
  • Fabiany Gomes Soeiro  17 de novembro de 2021 em 16:07

    O brincar é pra sempre, o ser humano é um animal racional e dinâmico. Hoje em dia é muito comum , usar os jogos para o aprendizado, é o caso das pré-escolas. Existem mais de 1000 tipos de jogos e brincadeiras que ajudam nossas crianças a se tornarem melhor.

    Responder
  • Sandra Falcão  17 de novembro de 2021 em 18:23

    Partindo da afirmação de que o ser humano é racional, dinâmico e está sempre em constante aprendizado, desde seu nascimento, ele vem construindo a sua personalidade. Ao longo de seu desenvolvimento, ele vem moldando esses aprendizados através de ferramentas que lhe permitem aguçar seus sentidos, percepções, emoções e socialização.
    A brincadeira, ativa essa evolução de crescimento e desenvolvimento físico, intelectual e social.

    Responder
  • Ana Beatriz Sarmento  18 de novembro de 2021 em 09:03

    Existem inúmeras formas e jeitos de brincar, sabemos que dentro de nós ainda habita um ser, inofensivo e que sempre irá se voltar para a infância, os jogos na infância, são primordiais pois ajudam a criar o nosso caráter, nos ensina a perder quando necessário, e a ganhar também, a trabalhar em grupo, ou sozinho, criar estratégias e buscar novos caminhos de possibilidades.
    nós como futuros profissionais da área, devemos estimular nossos alunos desde a primeira infância com jogos e atividades lúdicas, para que elas possam ter essa experiência e aprendam com ela!

    Responder
  • CRISTINA LUCIA NASCIMENTO MENDES  18 de novembro de 2021 em 12:26

    O brincar, é uma aprendizagem social, a importância do lúdico na escola é o lugar onde os pequenos tem de produzir, cultura e conviver com os colegas, podendo trabalhar em grupos, pois aprender é tão interessante quanto brincar, basta saber conduzi-lo. É importante saber que brincar é gostoso e saudável, favorecendo ao aprendizado, porque é brincando que o ser humano, se torna apto a viver em sociedade.

    Responder
  • Erlane Ferreira Silva  18 de novembro de 2021 em 14:18

    É importante a escolha certa das brincadeiras e jogos que vamos oferecer para os pequenos, pois futuramente isso os ajudarão, na ampliação do vocabulário e na socialização quando estiverem no ensino fundamental.

    Responder
  • Jasiane Silva Alves  18 de novembro de 2021 em 18:31

    É importante apresentar para as crianças os jogos e brincadeiras como forma de aprendizagem, não só de desenvolvimentos, é necessário a estimulação e o planejamento para que os alunos não apenas brinquem, mas também aprendam brincando.

    Responder
  • Eliane Torezani  19 de novembro de 2021 em 15:20

    Brincadeiras dinâmicas, cantadas, gesticuladas, de adivinhações estimulam
    sentidos, percepções, emoções e socialização. Quando é explorada através das brincadeiras a criança se vê no contexto das histórias, músicas e jogos e facilita no desenvolvimento geral e com certeza fica guardada na memória ate a fase adulta.

    Responder
  • Andréia Baptista Falcão  21 de novembro de 2021 em 10:35

    No ato de brincar, dançar, cantar, jogar, atuar e no faz de conta, a criança descobre a si mesma e o mundo ao seu redor. Ela cria, fantasia e experimenta um novo universo, de acordo com sua subjetividade, cheio de aprendizados e possibilidades, favorecendo o seu desenvolvimento bio-psico-social-cognitivo-cultural-afetivo.

    Responder
  • Claudiomara Cirilo Pereira  21 de novembro de 2021 em 14:44

    Para as crianças o brincar permite além de diversão, estímulo do conhecimento do próprio corpo, o desempenho físico, a força,a elasticidade, promovendo da melhor forma o desenvolvimento motor, ajuda também no raciocínio, proporciona a criatividade e a imaginação, e facilita o convívio social, porque ao brincar em grupo a criança começa a entender as regras e os limites das brincadeiras e das relações.

    Responder
  • Jéssica Menezes Dos Santos  21 de novembro de 2021 em 15:58

    Os jogos são importantes no aprendizado das crianças,é fundamental que seja aplicado de forma objetiva que possam desenvolver diferentes habilidades motoras verbais de raciocínio mental,perceptivo visual.Através do jogo a criança vai desenvolvendo intercâmbios por imitação e por diferentes apresentações apresentações comunicativas .

    Responder
  • ADRIANA REIS CERUTI DE OLIVEIRA  21 de novembro de 2021 em 18:35

    O texto vem afirmando que O brincar é uma maneira ativa e divertida de compartilhar ideias, socializar experiências, estreitar amizades, estimular relações interpessoais e outros.
    Os jogos, por exemplo, são estimulantes significativos à natureza viva da criança e a aprendizagem, pré-escolar, costuma utilizar um conjunto de jogos que facilitem o desenvolver de diferentes habilidades motoras.

    Responder
  • Suelen Peixoto  21 de novembro de 2021 em 18:36

    É indispensável proporcionar as crianças brincadeiras que promovam e estimulem seu desenvolvimento global, levando em conta os aspectos da linguagem, do cognitivo, afetivo, motor e social. Deste modo, as brincadeiras auxilia na aprendizagem e facilita no processo de socialização , comunicação, expressão e construção do pensamento.

    Responder
  • Denise Reis de Souza  21 de novembro de 2021 em 19:09

    Ao longo de nossa prática educativa iremos perceber o quanto a brincadeira contribuí para a melhoria da nossa prática pedagógica. Ela age diretamente de forma lúdica em diversas áreas do conhecimento, por isso é necessário que nos momentos de brincadeira, além de um momento de diversão , possamos promover um ambiente educativo, e que este seja o maior objetivo para estimular as diversas aprendizagens, para além da educação.
    É importante que em nossos planejamento façamos o resgate de brincadeiras que estejam presentes no contexto social onde a escola e a criança está inserida, para que esse momento seja mais ainda prazeroso.

    Responder
  • Ariana Alves da Silva  23 de novembro de 2021 em 08:59

    o desenvolvimento da autoconfiança da criança gera a curiosidade, autonomia a linguagem e o pensamento.
    Brincar é um dos principais meios de aprendizagem da criança e permite o desenvolvimento da coordenação motora ampla, da coordenação motora fina, desenvolve a comunicação, habilidades de aspectos sociais e cognitivos.
    Por isso é tão importante à garantia da convivência da criança nas escolas.

    Responder
  • Janayna Gomes Caetano  25 de novembro de 2021 em 20:02

    Ao brincar, a criança está descobrindo a si mesma e ao mundo ao seu redor. Crianças são “pequenos cientistas”, que aprendem experienciando e explorando o corpo, texturas, sons, lugares, cheiros, cores, pessoas. Ao experimentar, elas analisam, elaboram intuitivamente estatísticas, fazem outras experimentações, avaliam, testam hipóteses e assim vão descobrindo o mundo. Cada uma do seu jeito.

    Responder
  • Cyntia Sousa  26 de novembro de 2021 em 11:18

    A brincadeira é uma parte fundamental da aprendizagem e desenvolvimento da criança, momento em que ela exercita todos os seus direitos e estabelece contato com os campos de experiência, como protagonista de seu desenvolvimento.

    Responder
  • Ana Ribeiro  26 de novembro de 2021 em 13:07

    o ser humano pela sua curiosidade e estímulos, possibilita a aprendizagem onde vários fatores estão englobados como socialização ,brincadeira e outros.Não é necessário brinquedos caros ou tecnológicos ,brincadeiras e simples ativa o funcionamento da mente e do cérebro.

    Responder
  • ANA RIBEIRO  27 de novembro de 2021 em 16:52

    O corpo humano por ser inteligente, precisa que haja processos para sua organização e bom funcionamento .As informações que são levadas ao cérebro precisam ser processadas e organizadas de forma a serem distribuídas de forma coerente ao corpo. Com o passar do tempo, das vivências e exercícios ,as ordens neuromotoras se tornam habilidades. Por isso é necessário que cada ação seja aceita pelo aluno e analisada por um profissional com intencionalidades e percepções.

    Responder

    Responder
  • Larissa Barreto Lima Santos Soares  27 de novembro de 2021 em 18:57

    O brincar é algo mágico, as crianças criam uma conexão tão linda entre si no ato do brincar, que chega ser lindo de se apreciar, pois nesta conexão vem um conjunto de ações que compõe a evolução dos envolvidos., permitindo elas chegaram á estágios de aprendizagens que fazendo outra ação que não seja brincar, não seriam capazes. A brincadeira possibilita a convivência com outras culturas, crenças, valores e forma elos que são capazes de causar uma evolução gigantesca na vida da criança inserida, dando mais alegria e prazer na brincadeira.

    Responder
  • ERICA SAMORA  30 de novembro de 2021 em 20:57

    A participação do outro revela a zona de desenvolvimento proximal, nela as relações estabelecidas entre ambos, colocando o papel docente, contribuem para o avanço e entendimento crítico e modificador ao nível de desenvolvimento real, assim a criança brinca, compreende, crítica e modifica segundo sua visão estabelecida e mundo.

    Responder
  • Priscila  30 de novembro de 2021 em 21:59

    brincar é uma maneira ativa e divertida de compartilhar ideias, socializar experiências, estreitar amizades, estimular relações interpessoais e outros.
    Seria muito melhor se todas as crianças tivessem acesso a brincadeiras.

    Responder
  • Carina Aguiar da S. Conceição  1 de dezembro de 2021 em 09:57

    O brincar, trás mudanças benéficas na vida da criança, com a vivencia com outras crianças , elas aprendem a interagir a compartilhar , adquire autonomia e autoconfiança. É muito interessante observar uma criança antes e depois de ir para a escola, como muda e o quanto é importante o papel de cada um na vida delas (a família e a escola).

    Responder
  • Pâmela Mindas  1 de dezembro de 2021 em 17:35

    O texto começa falando que o ser humano é um ser dinâmico que estar sempre em movimento, e com isso podemos nos lembrar que é por esse motivo que as brincadeiras são importantes desde os primeiros momentos de vida, pois é a partir do brincar que começamos a interagir com outras pessoas, a termos nossas ideias e opiniões, e quando começamos a experimentar o novo, de forma que começamos a definir nossa personalidade.

    Responder

Deixe um comentário

Por favor, insira seu nome. Por favor, indique um endereço de email válido. Por favor, indique uma mensagem.