Wallon, em seus estudos aperfeiçoados também considerava que essas implicações tônicas dos movimentos tenham estreita ligação com as emoções. A linguagem do corpo pode evidenciar alegria e dor, nossa autoestima, nossos medos, nossas certezas e defesas. O tônus alterado pode ser minimizando pela educação motora, com exercícios específicos e na clinica psicomotora com a escrita, testes, trabalhos da psicanálise e outras tantas modalidades terapêuticas.

Todos os seres humanos se constroem gradativamente, ninguém nasce pronto, nem aprende ou assimila o eu no mundo de uma só vez. No campo desenvolvimental e cultural, cada sujeito necessita de certas habilidades para sobreviver em seu ambiente. A famosa concepção de equilíbrio, coordenação, grafismo e outros revelam a necessidade corporal/relacional com equilibração, destreza, eficiência etc. O mundo social é pleno de valores, expectativas, controles, imposições e, mesmo assim temos de aprender como agir na relação eu/outros sem perda da autoimagem positiva.

O corpo expressa a individualidade do ser, é percebido pelo sujeito e pelos outros. Passa a ser internalizados pelo sujeito em processos de diferenciação x pertencimentos. O desenvolver do esquema corporal implica em tudo isso e ainda as emoções e afetos na interação com o mundo.

Psicomotricidade como prevenção e intervenção 3Na arte do brincar, músculos, tendões, ossos, articulações são uma espécie de sistemas de alavanca ampliando pequenos movimentos. A compreensão e o acompanhamento nas “brincadeiras infantis” podem nos permitir entender melhor as crianças e ajudá-las preventiva e interventivamente na saúde geral, a partir dos conhecimentos da psicomotricidade. Novos e cada vez mais curiosos olhares ao brincar, conduzidos pela sensibilidade ao outro e esses saberes científicos, podem nos ajudar a ajudar o desenvolvimento sadio de grande parte de nossas crianças, em qualquer espaço onde se encontrem.

Neto (2002) recomenda que fiquemos atentos aos elementos básicos da motricidade, como a motricidade fina e viso-manual; ensina que nela está a participação equilibrante de diferentes centros nervosos, motores, sensoriais e físico-anatômicos, mesclados aqueles responsáveis pelos sistemas de campo psicoemocionais. Lembra que o córtex pré-central, correspondente à motricidade fina, precisa ser bem entendido no trato com a criança ao usar mão e dedos para desenvolver tarefas com controles táteis e motores.

A escuta representa uma atividade motriz usual que requer atividade controlada de músculos e articulações de um membro superior associada à coordenação viso-manual (…) A escuta consiste em uma organização de movimentos coordenados para produzir formas e modelos; consistem uma praxia motora (NETO, 2002 p.16)

Rascunho automático 1A psicomotricidade é uma área interdisciplinar ampla, onde aspectos biomédicos, psicocognitivos, socioculturais, afetivo/emocionais entre outros estão englobados. Consiste numa gama de possíveis saberes que não são fechados, mas abrem a todo momento para novos estudos e práticas. Noções como, equilíbrio, organização tempo-espaço, lateralidade, tônus e linguagem, são pontos significativos e básicos, mas há muito mais a se buscar. Uma avaliação psicomotora, que exige teste motor, verificação do perfil motor, uso de baterias e da escala de desenvolvimento motriz, pode ser extremamente valida, entretanto, ainda seria pouco diante da nossa própria abertura e prontidão para aprender a fazer nossas tarefas profissionais, a começar pela observação e participação no brincar infantil.

  1. NETO, Francisco Rosa. Manual de Avaliação Motora. Porto Alegre, Artmed, 2002.

Publicação sugerida pelo autor.

36 Comentários Respondidos

  • Diego Afonso de Souza  8 de novembro de 2021 em 17:00

    É tão interessante como uma simples brincadeira diz tanto, como um simples ato de desenhar, montar, ajustar, pode descreve sobre como um ser está se sentindo. Dando liberdade ao corpo, a criança expressa de maneira natural no ato do brincar inconscientemente seus conflitos e fantasias, dando espaça para a interpretação do terapeuta para que o mesmo consiga elaborar uma intervenção para seu determinado caso.

    Responder
  • Eliana Apolinário  10 de novembro de 2021 em 00:46

    Brincar é um caminho para incentivar a criança aos estudos, quando ela for amadurecendo suas atitudes, seus métodos de estudos estarão inclusos, com isso se tornará um adulto, que não tem problemas com estudos e leitura. As atividades psicomotoras são incríveis e eficazes, e suas finalidades geram resultados brilhantes, no dia a dia e futuramente para a criança.
    Temos a responsabilidade de fazer com que isso ocorra com frequência em uma sala de aula da educação infantil.

    Responder
  • Ana Beatriz Sarmento  12 de novembro de 2021 em 13:44

    O brincar na educação tem um papel fundamental, pois dar liberdade a criança para expressar seus sentimentos e emoções, e a partir desse estímulo levar o aluno ao aprendizado no qual se busca.
    é de suma importância a introdução da psicomotricidade na educação infantil pelo fato de estimular o corpo e a coordenação motora.
    nós futuros professores (as), precisamos estar atentos a essas novidades e fazer o bom uso desses recursos para nossa prática e eficácia, na busca por um ensino de qualidade!!!

    Responder
  • Eliana pere  12 de novembro de 2021 em 21:45

    Muoto interessante.
    Fiz meu tcc baseado nesse conteudo.

    Responder
  • Patrícia Martins Valério  14 de novembro de 2021 em 11:06

    É tão interessante quando passamos a entender melhor sobre a importância de trabalharmos o lúdico na Educação Infantil. Na aula passada entendemos que a prática da ludicidade, é respeitar a interpretação da criança, e que deve ter caráter de liberdade…é uma ação livre! Hoje entendo que o professor da Educação Infantil, tem que inserir a ludicidade no seu plano de aula. E ficar atento aos movimentos da criança, pois nesse momento lúdico ela estará trabalhando a Psicomotricidade. E na Psicomotricidade, o professor pode estar observando se a criança tem alguma limitação, alguma dificuldade para executar movimentos do corpo.

    Responder
  • ALINE APARECIDA NEVES DE OLIVEIRA  15 de novembro de 2021 em 10:15

    O brincar é fundamental para o desenvolvimento infantil, deve estar sempre aliado a faixa etária da criança para que se amplie sua percepção de mundo e a sua qualidade de vida. Uma criança que tem em sua infância a experiência do brincar se torna um adulto mais critico, mais seguro… E nós como profissionais da educação temos o compromisso de sempre inserir brincadeiras que tragam a interação social, criatividade, partilha, dialogo, entre outros; para os nossos pequenos educandos. E assim transformar o espaço do aprendizado em lugar de alegria e ludicidade.

    Responder
  • Fabíola Liberato Meirelles  15 de novembro de 2021 em 10:44

    Quando analisamos o brincar na área da psicologia, podemos observar que é uma forma na qual as crianças tem de se assegurar para tentarem resolverem seus conflitos internos e enfrentarem seus medos. O brincar, nos permitem observar referente a motricidades do indivíduo, algumas necessidades ou habilidade no qual essa criança tem, e assim, podemos entrar com a intervenção necessária a fim de lhes conceder um melhor desenvolvimentos nas áreas observadas.

    Responder
  • Marta da Silva de Souza  15 de novembro de 2021 em 10:52

    O lúdico é um recurso metodológico de suma importância para auxiliar a aprendizagem das crianças da educação infantil. é capaz de desenvolver habilidades importantes, como atenção, imitação, memória e até imaginacão.Através de brincadeiras, a criança tem apoio para superar dificuldades de aprendizado.

    Responder
  • Marta da Silva de Souza  15 de novembro de 2021 em 10:57

    O lúdico na educação infantil é de fundamental importância, porque proporciona uma aprendizagem interativa e prazerosa, pois através do mesmo a criança aprende brincando. É capaz de desenvolver habilidades importantes, como atenção, imitação, memória e até imaginação. Através de brincadeiras, a criança tem apoio para superar dificuldades de aprendizado.

    Responder
  • Jasiane  15 de novembro de 2021 em 13:40

    O brincar tem um papel essencial no desenvolvimento da criança, muitas pessoas acham que a educação infantil é só “brincar” e que é um mero passatempo, mas na verdade o brincar traz esse desenvolvimento psicomotor, sendo de grande importante o profissional da educação apresentar brincadeiras com propósito de ensinar, da criança através do brincar possa se conhecer e conhecer o próximo, seus limites, respeito e desenvolver sua psicomotricidade.

    Responder
  • Adriana Reis Ceruti de Oliveira  15 de novembro de 2021 em 17:54

    É através do brincar que a criança tem a formação de socialização , desenvolve suas habilidades cognitivas, emocionais, físicas e afetivas. O brincar expõe sentimentos , constroem,aprendem ,estimula imaginação e criatividade.
    Nas brincadeiras as crianças podem desenvolver algumas capacidades importantes ,tais como a atenção,a imitação,a memória e a imaginação.

    Responder
    • Jéssica Menezes Dos Santos  21 de novembro de 2021 em 16:34

      O brincar na educação infantil é importante para o processo de ensino aprendizagem. A psicomotricidade é uma área interdisciplina ampla onde aspectos biomédicos,psicognitivas e socioculturais .Uma avaliação psicomotora pode ser extremamente válida entretanto ainda seria pouco.

      Responder
  • Claudiomara Cirilo Pereira  16 de novembro de 2021 em 02:41

    O ato de brincar agrega qualidade no desenvolvimento psicomotor da criança, pois através das brincadeiras, a criança explora suas habilidades. A brincadeira com jogos faz com que a criança movimente o corpo, trabalhando a coordenação motora, o esquema corporal, a lateralidade, além de ser um ótimo recurso para aprendizagem.

    Responder
  • Janayna Gomes Caetano  16 de novembro de 2021 em 15:12

    Assim, através do brincar a criança pode desenvolver capacidades importantes como a atenção, a memória, a imitação, a imaginação, ainda propiciando à criança o desenvolvimento de áreas da personalidade como afetividade, motricidade, inteligência, sociabilidade e criatividade.

    Responder
  • CRISTINA LUCIA NASCIMENTO MENDES  16 de novembro de 2021 em 15:53

    O Lúdico na aprendizagem, ajuda a criança a se desenvolver, pois é possível trabalhar o cérebro evoluído-o mentalmente o cognitivo de forma divertida, colaborando para uma boa saúde mental e proporcionando a socialização e a aquisição do conhecimento.

    Responder
  • Fabiany Gomes Soeiro  16 de novembro de 2021 em 15:54

    Gostei muito do texto , e nele também tem o olhar de Wallon. O brincar é muito importante para as crianças, nele é trabalhado o lúdico, parte motora, cognitiva. E também vem o respeito pelo colega, a troca. Enfim, nossas crianças tem que brincar sim!

    Responder
  • Erlane Ferreira Silva  16 de novembro de 2021 em 18:19

    Todas as crianças gostam de brincar, colocar jogos e brincadeiras,com o intuito a aprendizagem, além de despertar a atenção da criança, o professor terá a possibilidade de observar e conhecer seus alunos, e intervir no que for nescessário, para o melhor desenvolvimento de cada uma delas.

    Responder
  • Eliana Pereira dos santos  16 de novembro de 2021 em 20:00

    Ë através das brincadeiras na educação, que as crianças vâo se descobrindo, a brincadeira leva a criança a pensar e a agir no mundo em que vive, o educador deve propor as crianças brincadeiras lúdicas que as levam a pensar e desenvolver descobertas do seu corpo.Ninguém nasce pronto e são nessas brincadeiras lúdicas que cada uma vai se descobrindo para o mundo.
    A psicometricidade tem um papel muito importante nessas brincadeiras.

    Responder
  • Jéssica Menezes Dos Santos  16 de novembro de 2021 em 20:09

    Achei muito rico o conhecimento sobre a linguagem do corpo, como podem Evidenciar sobre a dor, tristeza, certezas e defesas. É importante que tenhamos o conhecimento sobre as expressões do corpo, para que compreendemos a importância do brincar na educação infantil. Por exemplo; precisamos compreender as brincadeiras infantis por que nos permite entender melhor as crianças e ajuda-las a partir dos conhecimentos da psicomotricidade. Conteúdo rico.

    Responder
  • Sandra Falcão  17 de novembro de 2021 em 09:55

    É de extrema importância trabalhar a psicomotricidade na infância, objetivando a melhora dos movimentos corporais, a noção do espaço em que elas estão, o equilíbrio, o ritmo e a coordenação motora.
    Trabalhando com brincadeiras é possível observar se a criança possui algum déficit, auxiliando dessa forma em uma intervenção para a melhoria e qualidade em seu desenvolvimento.

    Responder
  • Eliane Torezani  17 de novembro de 2021 em 17:44

    No brincar entramos no mundo da criança e ela faz do imaginario o seu real, nesse brincar a criança expressa seus sentimentos e emoções que não sabe falar e nem entende.
    Sabemos que o corpo fala muito, e trabalhar a psicomotricidade pode fazer com que a criança descubras suas habilidades e tambem aprende a socializar.

    Responder
  • Ana Maria Ribeiro  20 de novembro de 2021 em 10:14

    A expressão corporal da criança diz muito a respeito de seus sentimentos. Existe uma ligação e emoção no processo de desenvolvimento que permita que ela se reconheça e aprenda através do convívio social e cultural. A brincadeira permite o desenvolvimento sadio e aprendizado eficaz onde muitos aspectos voltados para a psicomotricidade e estão englobados, por isso, deve haver um trabalho interdisciplinar para que a brincadeira também tenha sua relevância nas praticas educativas.

    Responder
  • Ana Ribeiro  20 de novembro de 2021 em 10:22

    A expressão corporal da criança expressa seus sentimentos.Existe uma ligação e emoção no processo de desenvolvimento que permite que ela se reconheça e aprenda através do convívio social e cultural.A brincadeira permite o desenvolvimento sadio e aprendizado eficaz onde muitos aspectos voltados para a psicomotricidade estão englobados e devem ser trabalhados de forma interdisciplinar para que a brincadeira tenha sua relevância nas práticas educativas.

    Responder
  • Ana Ribeiro  20 de novembro de 2021 em 10:57

    O corpo humano por ser inteligente, precisa que haja processos para sua organização e bom funcionamento .As informações que são levadas ao cérebro precisam ser processadas e organizadas de forma a serem distribuídas de forma coerente ao corpo. Com o passar do tempo, das vivências e exercícios ,as ordens neuromotoras se tornam habilidades. Por isso é necessário que cada ação seja aceita pelo aluno e analisada por um profissional com intencionalidades e percepções.

    Responder
  • Andréia Baptista Falcão  20 de novembro de 2021 em 12:10

    O Movimento é a linguagem do corpo. O processo de aprender e desenvolver cognitiva e socioemocionalmente, perpassam pelos movimentos do corpo. Aprendemos com o corpo bio-psico-social-emocional, que se “constrói” e se “desenvolve” a todo momento, de acordo com a subjetividade de cada um.
    A psicomotricidade aliada ao lúdico contribuem de forma prazerosa no desenvolvimento da criança em todos os aspectos, sejam eles: a inteligência, a afetividade, a motricidade e a sociabilidade.

    Responder
  • Larissa Barreto Lima Santos Soares  20 de novembro de 2021 em 19:18

    A intervenção começa a partir de uma avaliação profunda, com o objetivo de observar e trabalhar os pontos de dificuldades que o sujeito apresenta. Essa avaliação serve como forma de encontrar novos e bons caminhos para resolução de problemas que necessita ser aplicadios no processo de tratamento da criança, e uma das melhores sugestões para se fazer essa avaliação é inserindo o ato de brincar neste processo de investigação.

    Responder
  • ariana Alves da Silva  21 de novembro de 2021 em 10:34

    A criança que tem em sua infância a experiência do brincar se torna um adulto mais critico, mais seguro… E nós como profissionais da educação temos o compromisso de sempre inserir brincadeiras que tragam a interação social, criatividade, partilha, dialogo, entre outros;
    através do brincar que a criança tem a formação de socialização , desenvolve suas habilidades cognitivas, emocionais, físicas e afetivas.

    Responder
  • Suelen Peixoto  21 de novembro de 2021 em 13:58

    A psicomotricidade colabora para o desenvolvimento de alfabetização e possibilita ao aluno oportunidades essenciais para que se perceba como realidade corporal.
    Através das brincadeiras, nós como futuros professores podemos buscar romper o modelo tradicional da escola e aplicar recursos lúdicos como mediador no processo ensino-aprendizagem, tornando-o mais fácil e prazeroso. Deste modo, contribuindo de forma significativa para o desenvolvimento global do ser humano.

    Responder
  • Denise Reis de Souza  21 de novembro de 2021 em 17:56

    É de extrema relevância que nessa fase da educação infantil os professores utilizem da brincadeira, dos momentos de ludicudade e liberdade de expressão, para observar esses momentos de exploração capacidades psicomotoras das crianças, pois nessa fase seria o momento ideal para descobrir possíveis dificuldades e intervir para que essa criança venha a se desenvolver.

    Responder
  • Pâmela Mindas  24 de novembro de 2021 em 09:58

    A expressão corporal da criança pode nos mostrar mais sobre ela do que através da fala. É através do brincar que conseguimos nos conectar para que possamos entender mais sobre o que ela possa esta sentindo, é a forma que ela nos demonstra sues aprendizados, e alguma das vezes suas aflições. Uma forma de nos conectarmos ao seu mundo e de sua imaginação, e onde permitimos que a criança se expresse da maneira que se sentir confortável.

    Responder
  • Cyntia Sousa  26 de novembro de 2021 em 10:58

    A Psicomotricidade é uma ciência e uma terapia que se preocupa com o bem-estar global do ser humano e, no caso da associação crescer com sentido, principalmente da criança e do jovem, engloba a reabilitação e/ou reeducação de uma fragilidade evidente, mas pode também atuar na prevenção, para que nenhuma fragilidade se evidencie, potenciando ainda as capacidades gerais e específicas, de cada um, por isso tão importante ser trabalhado na educação infantil.

    Responder
  • Gabrielli Siller  30 de novembro de 2021 em 10:03

    A psicomotricidade torna-se numa mais valia quando introduzida na vida das crianças desde cedo, pois, pelo seu cariz lúdico, permite combater e prevenir diversas problemáticas, sejam elas problemáticas com incidências corporais, relacionais ou cognitivas de uma forma divertida e prazerosa. É de extrema importância o professor utilizar da psicomotricidade para ajudar na evolução da criança uma vez que o brincar contribui positivamente para o aprendizado.

    Responder
  • Fabricia Clara Dias Mozer  30 de novembro de 2021 em 16:39

    É interessante que através de uma brincadeira, de um desenho feito podemos identificar como as crianças expressão seus sentimentos, suas emoções, é que através de técnicas podemos intervir e prevenir na vida da criança. Fazendo que tenha um desenvolvimento melhor na sua infância, onde ela vai aprender a lidar com suas emoções.

    Responder
  • ERICA SAMORA  30 de novembro de 2021 em 18:01

    O brincar e o lúdico são essenciais para o desenvolvimento motor e cognitivo da criança, ajuda também na construção do amadurecimento que envolve toda a coordenação, como: lateralidade, ela aprende a dominar o corpo, tempo e descobrir seus movimentos.

    Responder
  • Priscila  30 de novembro de 2021 em 21:18

    A arte de brincar leva a criança a expressar sentimentos, emoções e interagir com o meio.

    Responder
  • CARINA AGUIAR DA S. CONCEIÇÃO  1 de dezembro de 2021 em 08:48

    É através das brincadeiras que a criança se desenvolve, interage, aprende regras e a compartilhar, por isso o professor precisa ficar atento a criança no seu ato de brincar, para que possa ocorrer a intervenção de qualquer dificuldade que surgir nos primeiros momentos da vida da criança.

    Responder

Deixe um comentário

Por favor, insira seu nome. Por favor, indique um endereço de email válido. Por favor, indique uma mensagem.