TRANSTORNOS DE ATENÇÃO/ HIPERATIVIDADE

►O transtorno de déficit de atenção/hiperatividade (TDAH) é uma síndrome comum na infância (problema médico – pedagógico – social) (síndrome neurocomportamental);

►Caracteriza-se por alterações motoras, perceptivas, e até cognitivas e relacionais. É definido como padrão persistente de desatenção e/ou hiperatividade, ocorrendo em 3 a 10% das crianças;

►Pode ter fundamentação neurológica, emocional ou ambiental; e se estabelece nas vias nervosas e associativas na relação do sujeito com o mundo. Pode advir de fatores internos e externos;

►Dados recentes de neuroimagem funcional revelam o cerebelo está envolvido, ativado em “estados de alerta” podendo ligar-se à hiperatividades. Além disso há fatores nos neurotransmissores revelando a força da química no TDA/H;

►A intervenção é multidisciplinar, envolve aspectos neurológicos psicomotores, emocionais, pedagógicos e envolve criança, família e escola;

►Mais de 2 milhões casos por ano (Brasil);

►Crônico: pode durar anos ou a vida inteira;

começa na infância e pode persistir na vida adulta;

►Pode contribuir para baixa autoestima, relacionamentos problemáticos e dificuldade na escola ou no trabalho;

►Os tratamentos incluem medicamentos e psicoterapia;

►Existe uma conjugação de genes de pequenos efeitos; a etiologia é multifatorial combinando ambiente e genética.

Publicação sugerida pelo autor.

12 Comentários Respondidos

  • Gláucia  19 de março de 2017 em 15:18

    Gostei muito do tema,O transtorno de déficit de atenção/hiperatividade (TDAH).
    Sabemos que iremos nos deparar com vários casos em sala de aula e precisamos estar prontos e preparados para lidar com esses casos.

    Responder
  • MAYARA  19 de março de 2017 em 17:28

    Penso que , o aluno que apesenta esta síndrome requer uma atenção dobrada para executar suas atividades dentro de sala de aula , e também para poder obter um aprendizado o qual ele merece deve ter um acompanhamento
    específico tanto da escola , quanto ao do médico específico de seu problema .

    Responder
  • JAQUELINE  21 de março de 2017 em 22:25

    Os alunos com este síndrome devemos ter muito atenção, adaptar ambientais na sala de aula as mesas para evitar distrações do aluno.

    Responder
  • Letícia Sancio  22 de março de 2017 em 14:26

    Este tema é bastante interessante e atual. É de extrema importância os pais estarem atentos ao dia-a-dia dos filhos e seus relacionamentos. E quanto ao ambiente escolar cabe aos pais manterem uma relação diária com o professor, buscando saber do desempenho e desenvolvimento escolar do filho. Dessa forma a criança poderá ter o tratamento que necessita de acordo com a fase e o aspecto que se encontra.

    Responder
  • danubia nunes ferreira  22 de março de 2017 em 15:09

    Penso tambem que esse alinu deve ser visto pelos seus professores com muita ateçao..desde do começo da leitura percebi que os professores ate mesmo seus pais nao percebem e dao atençao devida para esse filho ou aluno..entao qnto mais atençao mellhor.

    Responder
  • danubia  22 de março de 2017 em 15:26

    esta sindrome tem que ter acompanhamento completo de medicos e diretamente da escola…

    Responder
  • Sirlene do Nascimento Corrêa  23 de março de 2017 em 01:20

    O aluno que tem transtorno de atenção e hiperatividade requer muita atenção dos Pais e do professor é um tema muito interessante para sabemos lidar com os alunos na sala de aula.

    Responder
  • Joselia  23 de março de 2017 em 16:28

    E um assunto bem complexo q devemos se aprofundar pois iremos nos deparar com casos assim no nosso cotidiano e temos que estar preparados para sabermos como agir.

    Responder
  • karoline  23 de março de 2017 em 17:44

    Tema muito importante, penso que nos dias de hoje o professor precisa estar informado para saber como lidar com esses alunos em sala de aula, se recriando para que o aluno venha alcançar o conhecimento da mesma forma que os demais.

    Responder
  • Cristina Pereira Gomes de Azeredo  10 de dezembro de 2017 em 22:04

    O TDAH necessita de um acompanhamento médico e pedagógico. A intervenção exige uma equipe multidisciplinar, pois envolve os aspectos neurológicos psicomotores, emocionais e pedagógicos.O tratamento, em alguns casos, requer o uso de medicamentos.

    Responder
  • Gabriela Vasconcelos Gomes  10 de dezembro de 2017 em 22:44

    Esse tema é bem próximo da realidade vivenciada nas escolas. Onde as famílias não conseguem identificar e nem mesmo saber lidar com a situação. Precisando de maior orientação para ajudar a criança. Na escola, a professora deve acompanhar e auxiliar nas dificuldades apresentadas, com atuação de outros profissionais como: Psicólogo, Psicopedagogo e a parceria da família no processo da aprendizagem.

    Responder
  • Cristina Pereira Gomes de Azeredo  10 de dezembro de 2017 em 23:37

    O TDAH requer de todos nós,educadores,muita atenção e ação.O diagnóstico e as intervenções devem ser feitas por uma equipe multidisciplinar.
    Precisamos estar atentos ao sujeito que recebemos e o observarmos em todos os aspectos possíveis.

    Responder

Deixe um comentário

Por favor, insira seu nome. Por favor, indique um endereço de email válido. Por favor, indique uma mensagem.