Psicoterapia sistêmica familiar: enfoques diferenciados ou complementares? 2Nas terapias familiares e de casal, o especialista precisará de uma atenção especial à dinâmica do conjunto, sem perder as especificidades do individuo. Falceto e Copisten (2008) alertam para o cuidado especial quanto às interconexões ou interrelações que compõem a totalidade familiar (grupo).

Um sistema supõe um conjunto de elementos inter-relacionados ou dispostos de modo a funcionarem como uma estrutura com certa organização. Exemplo: sistema de ensino, sistema familiar, sistema de saúde, entre outros. Nesse sentido, tende-se a levar em conta a totalidade como sendo muito mais que a soma das partes, com sua dinâmica própria e interrelacional.

Hoje, a medicina da família e da comunidade, os atendimentos específicos das famílias e grupos sociais fazem parte de trabalhos e tratamento de cada paciente tanto quanto de cada grupo onde este está inserido.

As dinâmicas familiares estão associadas às causas de inúmeras psicopatologias e doenças psicossomáticas. Os autores acima afirmam que o que acontece com um dos constituintes de um grupo familiar afeta à todos os que compõem esse grupo e vice-versa.

Sendo um sistema vivo, de certo modo aberto e fechado; a família é uma unidade sempre em processo transformador e ampliador, em meio a crises situacionais tanto quanto à necessidade e satisfação de segurança e afeto.

Psicoterapia sistêmica familiar: enfoques diferenciados ou complementares? 3Sabemos níveis do envolvimento profissional terapêutico com as famílias. Nos níveis 1 e 2 o terapeuta apenas busca a família para informações práticas sobre tratamento e para a escuta de suas preocupações.

No nível 3 já existe uma linha mais forte de apoio que atende as necessidades da família, o que supõe sobre os comportamentos, desenvolvimentos e reações da família diante de situações estressantes.

No nível 4 e 5, a abordagem sistêmica de família, implica numa avaliação, planejamento e intervenções bem sistematizadas, com acompanhamentos e devolutivas, convocações e coordenações de reuniões familiares e individualizadas segundo os pontos focais. Nesses dois níveis de atendimento o grupo é convidado a expressar seus sentimentos e oferecer formas colaborativas de solução dos problemas.

Como em todo grupo, nas famílias também existem padrões disfuncionais; segundo as ciências humanas as dinâmicas de grupo têm padrões ao lado de possibilidades flexíveis de alterações, onde cabem forças propulsoras e restritivas. Esses estudos mostram as implicações relacionais entre as partes (membros da família) e entre a totalidade com suas organizações contextuais.

Ainda hoje usamos teorias que se encaixam bem nesse tipo de tarefa com grupos, como a teoria das relações objetais, da psicanálise em geral, terapias existenciais e de aconselhamento, terapias comportamentais anexadas às cognitivas, teoria das relações sistêmicas, entre outras, todas elas considerando as dinâmicas, estruturas, mobilizações grupais.

A linha trigeracional familiar se utiliza dos estudos e observações das formas especificas de interações nas 3 últimas gerações; a linha existencial leva em conta o aqui e o agora, enfatizamos emoções e vivencias presentes; a linha estrutural observa as questões organizacionais da família na gênese de seus problemas; a linha comunicacional observa as comunicações interpessoais verbais e não verbais incongruentes nas tentativas solucionadoras de problemas e intervém nas facilitadoras; a linha da; a linha das terapias estratégicas busca ações para reestruturar o funcionamento familiar em torno do sintoma; a linha comportamental privilegia ações para extinção e reforçamentos.

Cada teoria que o terapeuta aprende e utiliza para uso terapêutico familiar, jamais deverá ignorar as forças que se encontram num sistema onde as interações estão dependentes e interdependentes da modalidade com que cada parte atua nesse conjunto e onde o total desse sistema tem forte participação sobre cada parte ou membro que compõe.

Aqui, no Brasil, a partir de 1980, tenta-se criativamente, formar uma síntese ou integração dessas teorias e suas técnicas. Já se comprovou que a família é um sistema vivo e mobilizante, mas que cada sujeito, ou individuo, é ativa e ganha destaque nessa dinâmica familiar.; foi assim que a abordagem cognitivo-comportamental encontrou bastante espaço para atuações em famílias. Usa treinamento de pais, sessões de estudos de casos, testes individuais e grupais, listagens preferenciais e aversivas, terapia de casal, encontros geracionais com demonstração de efeitos comportamentais, terapia de casal centrada nas emoções e até a teoria multissistêmica nos transtornos de conduta dos adolescentes.

Em 2005, surge , com maior ênfase, a teoria ou terapia comunitária, reunindo e atendendo grandes grupos em psicoterapia. As técnicas de terapia em rede social também são colaboradoras das formas comunitárias de atendimento terapêutico familiar.

Devemos levar em conta que, como as notas musicais, um sistema é muito mais que a soma de seus membros numaPsicoterapia sistêmica familiar: enfoques diferenciados ou complementares? 4 família. Cada família tem sua estrutura, não é desestruturada, mas pode ser uma estrutura disfuncional para certos objetivos, mas todas possuem suas leis e vão além da homeostase.

Cada família, cada casal envolvido, tem sua gênese; aí se encontram campos de forças que se atraem e se chocam, há estruturas, alianças, hierarquias, trocas, permeabilidades, regras, normas, princípios, desencontros, estranhezas, sincronias… Cada um e no conjunto tem seu papel social (bem usado ou não) qualquer que seja sua configuração (família nuclear ou outra).

A orientação sistêmica pode ser usada em diferentes grupos, e também em diferentes construções teóricas e práticas; pode até contar com o apoio da informática e rede social, cruzando fronteiras ou restringindo sua atuação.

Há desafios na formação do terapeuta familiar, tanto quanto dos terapeutas ocupacionais, psicólogos, psicanalistas e outros. Não é errado articular diferentes enfoques desde que haja uma organização lógica e objetivos bem delineados. Abram sempre espaço para o conjunto mas também para os contornos individuais em forma relacional.

Atuar em sistemas legais onde a família é o ponto chave é preciso cuidados nas formas de observação, investigação, avaliação diagnóstica e escolhas interventivas – sempre com acompanhamento retroalimentador.

É sempre bom lembrar que se o ser humano é complexo, também o contexto se torna complexo exigido constantes aperfeiçoamentos ao lado da compreensão e apoio. Hoje, a liberdade do ser X obediência trouxe novas possibilidades e riscos, e tudo precisa ser bem analisado frente a desejos e valores na vida individual e social. Leis, regras, disciplinas são necessárias; liberdade de expressão – ação também tem seu espaço – ser terapeuta é também trabalhar com dualidades e reorganizações atendendo às novas solicitações desse tempo.

Texto elaborado com base nas obras: Terapia Familiar no Brasil na última década. Rosa Maria S. Macedo. São Paulo: Roca, 2008. E Psicoterapias: abordagens atuais. Aristides Volpato Cordioli. Porto Alegre: Artmed, 2008. Colaboração da Professora Mestre Renée Leão Borges.

Publicação sugerida pelo autor.

35 Comentários Respondidos

  • Geovana do nascimento Nascimento  2 de julho de 2017 em 16:31

    A importância de uma prática de terapia famíliar é valorizar a sua história e assim possibilitando o resgate dessa família, ajudando promover o bem estar físico e mental e o equilíbrio através de intervenções, fazendo com que haja mudança individual em cada membro dessa família.

    Responder
  • Luciene Barbosa Lepaus  2 de julho de 2017 em 21:24

    Cada ser humano e formado de opiniões e personalidades diferentes.Para um bom convívio tanto familiar como social devemos repensar nossas atitudes e corrigir nossos erros.Num ambiente familiar deve-se ouvir o ponto de vista de cada um,analisar os prós e os contras e caso haja necessidade altera a forma de agir de cada indivíduo que põe em risco a harmonia do grupo.Os casais devem pensar se cada atitude ou palavra dita sem pensar causa um ao outro é realmente necessário.Colocar na balança o que deve ser mudado e sempre se dirigir ao outro com respeito,pois eles são a base do ambiente familiar.

    Responder
  • Larissa Vieira Ferreira  3 de julho de 2017 em 13:58

    A psicoterapia familiar é importa porque um membro da família pode procurar ajuda com um determinado sintoma e que se torna claro que o sintoma dessa pessoa se relaciona com o funcionamento da sua família, a depressão de uma mãe, o alcoolismo de um pai, o comportamento rebelde de um filho tudo isso pode ser conflitos que envolvem não só um, mas como todos dentro de uma casa, sendo assim muito importante o envolvimento de todos nas sessões de terapia em busca de algo em comum o bem estar de todos.

    Responder
  • Poliane Bitencourtt  3 de julho de 2017 em 14:54

    A família é composta por pessoas diferentes, que muitas vezes não dividem os mesmos sonhos, vontades e objetivos, isso torna na maioria das vezes a convivência difícil e cansativa.
    A vida está cada vez mais corrida e estressante e isso acaba acarretando diferentes problemas, e quando um dos membros da família não está bem, isso reflete para todos de forma geral.
    A terapia familiar ajuda e muito a melhorar a convivência familiar e a resolver questões que tanto incomodam no dia a dia.

    Responder
  • tania lucia coimbra santos oliveira  4 de julho de 2017 em 12:55

    psicoterapia familiar muito importante porque trata a familia, muitas vezes o problema começa no convivio do casal, que acabam transmitindo para os filhos, pais com problemas conjugal que acabam passando seus problemas para os filhos, devemos saber separar as coisas não deixar que nossos filhos participem de brigas discurçoes familiar, resolver os desafetos de forma que não os atinjam, dialogar e muito importante, tirar tempo para conversar em familia, cuidar para que valores não se percam.

    Responder
  • Natache Damasio  5 de julho de 2017 em 12:57

    Quando procuramos ajuda profissional como a terapia familiar, precisamos entender e estar ciente que para chegarmos à um bom desempenho para o paciente, é preciso analisar suas relações mais próximas, para saber o que e como influenciam no comportamento dos envolvidos.
    A terapia familiar tem uma importância muito significativa, traz esclarecimentos de certas ações e situações. Fazendo com que possamos manter a base familiar, entendendo seus desafios constantes.

    Responder
  • katissiani  7 de julho de 2017 em 09:02

    A terapia familiar te como adjetivo auxiliar a família nas conquista desejos ou ate mesmo para resolver algum problema,muitas vezes o comportamento que bom pra uma pessoa não e o bastante pra outro isso gera um conflito desgastante em toda família e os filhos são o mais prejudicados. Então a terapia familiar e de estrema importância para resolver esses problemas e trazer um conforto melhor por meios de cuidados estímulos entendimento das causas ate mesmo pra desenvolve habilidades de relacionamento interpessoal.

    Responder
  • Patricia Batista Alonso  7 de julho de 2017 em 11:12

    A terapia familiar e uma excelente alternativa para família, que esta passando por conflitos e desarmonia, por exemplo: os pais que não concordam com a com o modo que cada um cria seu filho, ai entra a questão que a terapia familiar vem mostra que cada um tem que respeita e aceitar o espaço do outro.

    Responder
  • Evelyn Cristina  8 de julho de 2017 em 18:44

    O meio familiar, é formado por pessoas com pensamentos diferentes uns dos outros e por isso pode haver pequenos, médios e grandes conflitos. Às vezes, por exemplo, se tem uma criança bastante problemática que faz terapia há muito tempo, mas nunca obtém um resultado favorável, no entanto o problema não está ligado somente à criança e sim, ao seu meio social mais interativo que é a família. Por isso sempre que as coisas fugirem do controle é bom procurar um especialista para dar início uma terapia familiar para arrancar o problema da raiz.

    Responder
  • Luismar de Lima s. Teodorio  8 de julho de 2017 em 22:26

    O meio familiar é de constante conflito ao mesmo tempo que é cercado de amor, por mais que as demonstrações de conflito transcendam muitas vezes o âmbito que os cerca e dessa forma mais visualizado às vezes , a terapia familiar pode trazer à tona novamente o sentimento de amor que há ali, fazendo transparecer mais harmonia, compaixão e até um sentimento muito forte de perda que infelizmente não se pode voltar atras mas se pode corrigir à frente não fazendo daquilo um abismo ainda maior , uma vez que todo ser está em constante evolução e multiplicação.

    Responder
  • Miriam Almeida.  9 de julho de 2017 em 20:00

    Acho muito importante terapia em família, só que essa terapia teria que começar antes das famílias terem problemas, assim aprenderiam a viverem em grupo. E muito importante ver como a ciência cada vez aumenta a seu estudo para melhorar a convivência entre famílias, com essas famílias se utiliza dos estudos e observações das formas especificas. A existência das terapias estratégicas busca ações para reestruturar o funcionamento familiar em torno do sintomas leva em conta o aqui e o agora, enfatizamos emoções e vivencias presentes; a linha estrutural observa as questões organizacionais da família na gênese de seus problemas; a linha comunicacional observa as comunicações interpessoais verbais e não verbais incongruentes nas tentativas solucionadoras de problemas e intervém nas facilitadoras; a linha das terapias estratégicas busca ações para reestruturar o funcionamento familiar em torno do sintoma; vemos como e importante saber que existem profissionais capaz de ajudar famílias.

    Responder
  • Rafaela de Deus Freitas  9 de julho de 2017 em 23:05

    O texto sugere que o profissional que participa do processo e desenvolvimento de terapias, devem seguir as individualidades de cada família, buscando a melhor aplicação da dinâmica a ser desenvolvida, a fim de conseguir atingir ao máximo do objetivo proposto. Vivemos um tempo onde os arranjos familiares são múltiplos, e os problemas de cada família será diversos, cabendo ao profissional ser propositivo ao atendimento do caso.

    Responder
  • suellen xavier  17 de julho de 2017 em 14:13

    Hoje vemos muita a falta de dialogo entre pais e filhos, esposas e maridos por isso a terepia familiar é uma boa alternativa para famílias desestruturadas, um profissional que possa ajudar no dialogo dos pais com os filhos, as vezes os pais querem demais dos seus filhos e por isso se afastam cada vez mais, na terapia cada um ira poder expressar sua opnião e com ajudar do profissional entrar em concordância e assim voltar a ter armonia na familia.

    Responder
  • Evelyn Alves da Cruz  17 de julho de 2017 em 18:33

    É preciso se atentar a importância da terapia familiar para solucionar questões de conflitos dentro do ceio familiar, que muitas vezes se tornam problemas grandes quando não recebem a devida atenção. Pois a base de todo ser humano é a família. Também é de grande importância manter dentro de uma família princípios que não se percam no tempo, princípios sólidos.

    Responder
  • Toaeny Cristina  18 de julho de 2017 em 18:20

    A família é vista como um sistema equilibrado e o que mantém este equilíbrio são as regras do funcionamento familiar, acho importante que a família tenha diálogo com filho por que a atenção dos pais muda o dia a dia da criança e também faz toda a diferença no comportamento atual, por que se a família não der atenção gera bastante conflito no comportamento da criança, por isso é importante dizer que a família ela é a base de tudo.

    Responder
  • LARISSA DUARTE CALDERIA  19 de julho de 2017 em 12:27

    A família é a base de tudo na vida de cada individuo, é de extrema importância o pais terem um dialogo com seus filhos, manter um relacionamento de confiança entre eles, os pais mostrar aos filhos os valore os princípios morais e éticos.
    Constituir uma família não é apenas ser mãe e ter um pai e ser filho(a), mas sim ser família unida e amar um ao outro mostrar no dia a dia a importância da convivência e o prazer de ter uma família.

    Responder
  • Marcela Olivera  20 de julho de 2017 em 00:19

    A vida moderna apresenta as famílias novas formas de se viver junto.. isso pode causar confusões e desorganização mental em membros da familia. A familia é composta por pessoas que tem pensamentos e pontos de vista diferentes onde a individualidade de cada deve ser respeitada, porém nem sempre é tão facil assim.. Nesse momento recorrer a ajuda terapêutica pode ser uma boa opção na busca de manter a harmonia familiar. A terapia familiar vem sendo bastante utilizada por familias em crise nos dias atuais. os profissionais dessa área acompanham de perto cada grupo respeitando a individualidade de cada um dos membros.

    Responder
  • Mikaela Calmon  21 de julho de 2017 em 15:05

    O diálogo dentro da família é de extrema importância, sendo assim a melhor maneira de resolver os problemas que nela há!
    Também seria importante se cada uma pudesse passar por um processo de terapia, para assim manter a estrutura de uma família forte e um ambiente saudável. Os pais devem ser mais compreensivos entre si, sentar e conversar para corrigir os erros, dar uma atenção redobrada para seus filhos procurando saber mais sobre oque se passa na vida deles. Família deve ser respeitada e unida, pois é sagrada.

    Responder
  • Ruth Ribeiro  21 de julho de 2017 em 15:49

    Em toda família existe seus problemas, uns mais tranquilos, outros mais difíceis de se resolver, e isso acaba afetando o convívio dentro de casa, todos os membros querendo ou não, acabam sendo afetados, e quando se torna algo insuportável e necessário procurar ajuda, e as vezes resolve a maioria dos casos, uma terapia familiar ajuda muito a tornar a situação mais confortável.

    Responder
  • Kaila S Plinio 1° Período de Pedagogia  21 de julho de 2017 em 21:36

    O grupo familiar é um conjunto de pessoas, a família é como um saco de batata se uma apodrece corrompem todas. Mas, mesmo a terapia sendo em grupo não pode deixar de perceber a individualidade de cada componente mesmo com essas particularidades a convivência influencia em comportamentos e atitudes .

    Responder
  • Luciene de Paula Tinoco  21 de julho de 2017 em 23:32

    A sociedade é formada por pessoas com personalidades diferentes que formam famílias diferentes e cada qual co seus problemas. Portanto faz-se necessário uma avaliação do meio, do grupo e do indivíduo para que aplique os meios mais adequados de terapia familiar, para haver respeito mutuo e soluções para os problemas sem atritos.

    Responder
  • azenilda  22 de julho de 2017 em 11:18

    com os tempos modernos as famílias acabam se distanciando um poco uns dos outros,o dialogo fica mais difícil,em alguns casos a tecnologia tem tomado todo o tempo e se comunicam só através destes instrumentos .A psicoterapia e de extrema importância,quando e procurada, pode auxiliar as famílias nas conquistas e ajudar a solucionar alguns problemas,trazendo assim conforto,entendimento, auxiliando e proporcionando melhor relação entre si.

    Responder
  • toaeny Cristina  23 de julho de 2017 em 13:33

    A terapia familiar ela ajuda a família que passar por situações complicadas dentro de casa, toda família tem suas complicações mas devemos ter todo o cuidado na hora de lidar com esse problema, todos nós temos a nossa diferença e dentro do nosso lar precisamos ter compreensão por isso a terapia familiar é importante para toda a família e casal, com isso obtemos um bom dialogo e um bom convívio em família.

    Responder
  • jessica gonçalves  23 de julho de 2017 em 19:27

    toda família tem problemas,e por se um grupo as vezes se complica na hora de acha a solução, já que tem que agrada a toda família, a terapia famíliar ajuda a família a pensar e agir em conjunto. O diálogo e de muita importância entre os indivíduos da família. A família e a base de tudo nessa vida precisamos então ter uma boa convivência.

    Responder
  • Izimar A. da Costa  23 de julho de 2017 em 21:49

    A psicoterapia é muito importante para as famílias,ela ajuda o grupo familiar que estão sendo destruídos por motivos bobos as vezes é um problema simples mas com receio de procurar ajuda acaba acumulando muitas coisas,junta o estresse do dia a dia o cansaço do trabalho e vira um problema maior.Cabe as famílias procurar ajuda um apoio logo no início de tudo para que menos famílias acabasse desfeitas.

    Responder
  • Jackeline Batista de Almeida Soares  24 de julho de 2017 em 09:21

    “A orientação pode ser usada em diferentes grupos, e também em diferentes construções teóricas e práticas; Atuar em sistemas legais onde a família é o ponto chave é preciso cuidados nas formas de observação, avaliação diagnóstica e escolhas interventivas – sempre com acompanhamento retroalimentador”.
    O Profissional da área psicológica precisa sempre buscar atualizações em seu sistema de aprendizagem, os problemas familiares são sempre os mesmos, mas, as pessoas que compõem uma família passam por processos traumáticos que refletem na relação. É preciso avaliar cada pessoa individualmente e como ela interage socialmente dentro do contexto familiar.

    Responder
  • christian carla neves de souza moreira  24 de julho de 2017 em 12:29

    A pratica terapia familiar é valorizada na historia e sim resgatando a harmonia familiar, corrigir os nossos erros.Os pais devem ir ao bom senso e pensar em cada palavras ditas sem pensar, porque isso prejudica o desenvolvimento da criança e o ambiente familiar.

    Responder
  • Priscila almeida  24 de julho de 2017 em 22:19

    a terapia familiar é bem discutida e bem trabalhada pelos profissionais, o dialogo e sempre para auxiliar problemas entre os membros de parentescos,o objetivo é conquistar ou reconquistar os laços harmoniosos; saudáveis e respeitosos.
    Os problemas destacados nesse conjunto familiar é conflitos;uso de drogas; alcoolismo; ma criação de filhos; depressões; anorexia e outros. De qualquer forma são problemas encontrados em familiares desarmonioso.

    Responder
  • Thais Vilela  24 de julho de 2017 em 23:48

    Em alguns casos a terapia familiar acaba sendo um novo contato entre os membros da família. sendo ela muito importante principalmente quando se trata de algum tipo de trauma e não somente de desentendimentos !

    Responder
  • Taisa de lima lira  25 de julho de 2017 em 10:45

    A terapia familiar é uma forma de ajudar e fazer o resgate da família com dificuldades. Promovendo a ajudar no grupo familiar, estarão fazendo o bem físico e mantendo o equilíbrio mental de cada membro familiar fazendo com que exista mudança individual.

    Responder
  • Fabricia Perovani da Rocha  25 de julho de 2017 em 18:35

    Este texto aborda de forma objetiva e esclarecedora as diversas formas de terapia, seja individuai ou em grupo, aqui ressaltando a terapia familiar. Toda a atuação e desenvolvimento deste processo, de acordo com as características e estruturas de cada ser componente da família, pois cada caso é um caso, mas a finalidade sempre será a promoção de bem estar geral.

    Responder
  • Thais Conceição  26 de julho de 2017 em 15:00

    Cada individuo tem pensamento , atitude e gosto diferente um do outro as vezes não sabemos como lidar com essa diferença dentro de casa e acaba sendo intolerante criando problemas ,a parti dessas atitudes devemos buscar ajuda de um profissional , (Terapia familiar ) para nos ajudar a manter um bem estar familiar , para que passamos viver bem fisicamente e psicologicamente .

    Responder
  • vanda bento  29 de julho de 2017 em 19:38

    A terapia familiar,precisamos entender e estar ciente que para chegar a um bom desenpenho é preciso analisar suas relaçoes mais proximas, e resolver os desafetos com forma amorosa para que nao os projudique e assim melhorar o convívio familar

    Responder
  • Geilza de Souza Delfino Gomes  1 de agosto de 2017 em 21:49

    No mundo moderno que vivemos hoje as famílias vem perdendo o seu espaço o que é uma pena pois o viver em uma família que tem dialogo, união e principalmente amor é algo maravilhoso. Hoje os familiares dificilmente buscam dialogarem entre si ,preferem mesmo as redes sociais e não dão o verdadeiro valor a família. É ai que atua a psicoterapia com seus profissionais, ajudando a essas famílias a resgatarem o valor e o sentido verdadeiro da família, muitas pessoas ao procurarem esses profissionais e iniciando um tratamento acabam descobrindo que os sintomas que sente pode estar relacionados com toda a sua família. esse tratamento tende a recuperar esses familiares resgatando neles o valor da família.

    Responder
  • Maxielle Pinheiro Santos Silva  17 de novembro de 2017 em 14:09

    A terapia familiar é um processo eficaz para ajudar o individuo. Todo o individuo faz parte de diversos sistemas, sendo o sistema familiar o primeiro a participar. Todo sistema familiar tem sua estrutura de organização de acordo sua necessidade, cada individuo é considerado um integrante do sistema, e cada um tem seu efeito sobre a formação da estrutura familiar, quando um membro não está bem impacta toda a estrutura. A pessoa que é considerada pela família como o problema, com certeza é o sintoma responsável por causar desequilíbrio em toda a estrutura familiar. A família é sim considerada um sistema vivo, pois está sempre em movimento e constante transformação, sendo que a mudança de um integrante modifica todo o funcionamento do sistema familiar. O profissional que estiver acompanhado a família deve está atento a toda dialética que permeiam o sistema, prestar atenção se as regras são claras ou difusas, se as fronteiras são rígidas ou flexíveis, entender todos os detalhes da organização e comunicação do sistema familiar, pois a dinâmica de uma família é complexa.

    Responder

Deixe um comentário

Por favor, insira seu nome. Por favor, indique um endereço de email válido. Por favor, indique uma mensagem.