A DISLEXIA

►Transtorno manifestado em D.A independente da nosologias ou processos sociais e educativos – Dificuldades leitura e escrita;

►A leitura supõe interpretação de sinais ou símbolos gráficos; ela dá sentido ao que está escrito – é uma forma complexa de aprendizado simbólico. A intervenção é educativa (psicopedagógica e fonoaudiológica);

►A leitura envolve gráficos, atenção, habilidade visual-motora, vários tipos de memória, organização textual na imagem mental. Ela varia entre indivíduos e depende de fatores como idade, sexo, maturação, hereditariedade, vivência, motivação, etc…

►Albert Einstein dizia “quando leio somente escuto o que estou lendo, e sou incapaz de lembrar da imagem visual da palavra escrita”;

►Autopsias reveladoras: mostram anomalias nas áreas temporais de dislexias

►Definições – síndrome funcional psiconeurologia associada “comprometimento acentuado no desenvolvimento das habilidades de reconhecimento das palavras e da compreensão a leitura” (DSMIV, 1995 – Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais);

►A leitura oral se caracteriza por omissões, substituições de palavras e leitura lenta e vacilante, com pouca compreensão do que se lê. O mapeamento cerebral (RMN não é invasivo e pode ser usado);

►Alguns são invasivos (PET – na neuroimagem) usa material radioativo (riscos);

►Antes dos 7 anos e até os 8 anos, não se pode diagnosticar a dislexia – nesta fase há dificuldades normais de reversibilidades;

►Nos países europeus e EUA existe alta frequência da dislexia (3 a 18%); no Brasil, em 2004, a prevalência foi de 12,1% nas 3ª séries;

► Pode ter causa genética ou adquirida (heranças poligênicas, má formação do SNC, problemas perinatais, privações ambientais).

Publicação sugerida pelo autor.

Sem Comentários

Você pode postar o primeiro comentário.

Deixe um comentário

Por favor, insira seu nome. Por favor, indique um endereço de email válido. Por favor, indique uma mensagem.